Acidentes envolvendo caminhões basculantes expõem necessidade do cumprimento da Resolução 563, do Contran

Foto: CBMG

 

Acidentes envolvendo caminhões basculantes em Minas Gerais expõem a necessidade do cumprimento da Resolução 563, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

A Resolução 563 exige a instalação de dispositivo de segurança em caminhões basculantes para evitar o acionamento da caçamba enquanto o veículo estiver em movimento. Além de verificar este dispositivo, a inspeção avalia todos os demais sistemas de segurança, conforme a norma ABNT NBR 1404 e regulamentos do Inmetro.

 

Vários acidentes, com caminhões que trafegavam com a caçamba acionada, tem acontecido em todo o Brasil, além de outros acidentes causados por falta de manutenção dos sistemas de segurança diversos dos veículos.

 

O motorista de um caminhão basculante morreu, no dia 9 de outubro, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, após capotar e cair em uma ribanceira.

 

Em agosto, um caminhão basculante de uma empresa que prestava serviço ao município de Brumadinho, tombou em uma curva da estrada vicinal, dentro do espaço reservado à mineradora que a empresa prestava serviço. Duas pessoas ficaram feridas.

 

Em Lavras, no sul de Minas, também em agosto, um caminhão basculante carregado com areia, capotou ao tentar subir uma rua e voltou batendo em dois postes. O caminhão só parou quando bateu no segundo poste, provocando o seu deslocamento. Felizmente ninguém ficou ferido.

 

Não se pode afirmar com exatidão o que causou estes acidentes, especificamente, porém grande probabilidade é de que tenham ocorrido por falta de manutenção, principalmente do sistema de freios. E estes problemas poderiam ter sido identificados caso os veículos tivessem passado pela inspeção veicular, que acarretaria na manutenção preventiva.

 

O caminhão basculante é um tipo específico de veículo, equipado com uma caçamba articulada na parte traseira e destinado ao transporte de grandes quantidades de material.

 

A medida deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2018, mas foi suspensa por um ano sem os estudos técnicos necessários e até agora está sem efeito, devido à falta de cumprimento do próprio Denatran.

 

Para o diretor executivo Associação Mineira da Segurança Veicular (Amsv) e da Federação Nacional de Inspeção Veicular (Fenive), Daniel Bassoli, a falta de fiscalização nesse tipo de veículo coloca em risco a população, além de descumprir uma regulamentação que as autoridades deveriam garantir. “Nos últimos anos, ocorreram vários episódios envolvendo caminhões basculantes, a maioria deles com mortes ou vítimas graves. E esses acidentes continuam acontecendo porque os donos dos caminhões se recusam a investir. Infelizmente, a segurança veicular não é uma preocupação do Sistema Nacional de Trânsito”, observa Bassoli.

 

A instalação do dispositivo nos caminhões basculantes pode ser feita a partir de R$ 500 por veículo. “O maior custo se deve à necessidade de manutenção dos veículos, que geralmente circulam sem os requisitos mínimos de segurança, além da eventual troca da bomba de acionamento da caçamba, que, muitas vezes, não é segura”, diz o diretor executivo.

 

Um levantamento da Fenive realizado em 2018, com 3,4 mil caminhões basculantes, mostrou que 58% dos veículos apresentavam algum tipo de problema mecânico. Foram encontrados cerca de 9 mil defeitos nestes veículos. Destes, 8% foram em decorrência de defeitos ou ausência no dispositivo de segurança. Também foram identificados problemas no sistema de freios, faróis, suspensão e outros itens que prejudicam a segurança veicular.

Foto: Jornal de Lavras

Topo