Acidentes com veículos basculantes preocupam e mostram gravidade da suspensão da Norma 563, do Contran

 

A suspensão da inspeção em caminhões basculantes, comemorada por alguns sindicatos de empresas de transporte, é na verdade motivo de muita preocupação.

 

Associações de Segurança Veicular destacam que as normas são essenciais para se evitar acidentes com caminhões com caçamba, que se multiplicam pelo país.

 

Na quinta-feira (05/03) um grave acidente com caminhão basculante, em São Paulo, parou o trânsito em um túnel, no centro da capital.

 

A caçamba foi destravada após passar em um buraco e o caminhão ficou entalado no túnel que liga a região leste – oeste.

 

Além dos transtornos no trânsito, o acidente causou uma ruptura na estrutura do túnel, com prejuízo e risco para quem circula pelo local.

 

Por sugestão do Denatran, os Detrans não estão cumprindo a Resolução do Contran 563, que cria normais mais rígidas para esta frota de veículos basculantes, prevendo mais segurança para todos.

 

Uma das justificativas de quem é contra a norma é de que a resolução trouxe custos excessivos para a adaptação e manutenção dos caminhões basculantes. Mas isso é muito pouco quando se pensa em segurança de pessoas, em proteger e salvar vidas.

 

Se a inspeção regulamentar tivesse sido realizada, garantindo a instalação do dispositivo de segurança, este acidente não teria acontecido.

 

O que diz a resolução 563, do Contran

 

A Resolução determina que caminhão basculante tenha um dispositivo de segurança para impedir o acionamento involuntário do dispositivo que movimenta o compartimento de carga. Esse equipamento só poderá ser acionado mediante dois comandos.

 

É preciso haver também um aviso visual e sonoro para alertar o operador sobre o acionamento da caçamba. E, como alternativa, um controle que impeça o caminhão de trafegar a mais de 10 km/h quando o movimento da carroceria for acionado.

 

Outras exigências são: a fixação de aviso de segurança no para-brisa, o uso de manual de operação do equipamento e apresentação anual do Certificado de Segurança Veicular para o licenciamento. Sem o atendimento de todos esses requisitos, os caminhões não podem circular.

 

 

Foto: Suamy Beydoun/Agif/Folhapress

Topo